quarta-feira, 16 de março de 2011

Momento Scarlett O'Hara


She
May be the face I can't forget.
A trace of pleasure or regret
May be my treasure or the price I have to pay.
She may be the song that summer sings.
May be the chill that autumn brings.
May be a hundred different things
Within the measure of a day.
She
May be the beauty or the beast.
May be the famine or the feast.
May turn each day into a heaven or a hell.
She may be the mirror of my dreams.
A smile reflected in a stream
She may not be what she may seem
Inside her shell
She who always seems so happy in a crowd.
Whose eyes can be so private and so proud
No one's allowed to see them when they cry.
She may be the love that cannot hope to last
May come to me from shadows of the past.
That I'll remember till the day I die
She
May be the reason I survive
The why and wherefore I'm alive
The one I'll care for through the rough and ready years
Me I'll take her laughter and her tears
And make them all my souvenirs
For where she goes I've got to be
The meaning of my life is
She, she, she




(Elvis Costello
Composição: Charles Aznavour / Herbert Kretzmer)

Eu nem ia escrever, mas...


Acho "She" uma música linda. Sempre achei. Fui procurar ontem no youtube para deixar tocando enquanto rolava o faxinão e me deparei com essa versão "Scarlett" da música.


Concordo. Scarlett O'Hara preenche os requisitos da letra. Falo com a certeza de quem não só assistiu ao filme incontáveis vezes, mas também, leu o livro. 


Aliás, o filme, inspirado na obra de Margaret Mitchell, conseguiu retratá-la fielmente. Quando li "… E o vento levou" já tinha visto algumas vezes o filme. E, para minha surpresa, consegui ver no papel todas as cenas da película. (Digo o mesmo de "Senhor dos Anéis", mas isso é conversa para outra hora.)  


E Scarlett? 


Sim, ela é egoísta e cheia de vontades, como também, dona de um imenso coração e de uma admirável coragem. A protagonista. Uma personagem complexa, imprevisível… incrível! De moça sonhadora, apaixonada, vítima de um amor impossível a chefe de família. Destemida, reconstrói a sua vida, sua casa e reúne seus familares. Enfrenta as dificuldades que lhe são impostas. Capaz de passar por cima de qualquer um, a fim de enriquecer e ser ver livre de problemas financeiros. 


A Scarlett, que ganhou vida através de Vivian Leigh, para mim, é uma das melhores atuações literárias e cinematográficas. Ela consegue transmitir emoção, bravura e coragem, e, ainda, ser mimada. 


Qualquer que seja a faceta, Scarlett O'Hara continua sendo uma das minhas heroínas preferidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você não pode ter medo de um vegetal! (por Baby Patolino)