quarta-feira, 4 de maio de 2011

Eu quebro correntes...

Então... eu até queria fazer um post sobre o casamento real semana passada, mas, todo mundo já assistiu/leu/twitou/conversou(...) sobre. Aliás, a minha cobertura do ídolos made in twitter, parece que foi mais divertida que a do casório. Também, convenhamos, de madrugada e ressaqueada, não há quem me aguente. Resultado: followers debandando! hauahauahauhauaha Não foi bem assim, mas, ok!

Entretanto, adorei os momentos de cultura britânica (não é surpresa que eu tenha uma quedinha por história, principalmente sobre monarquia), como: saber que a Rainha não canta o hino porque, neam, "God save the QUEEN" (dãããã) e que Catherine não poderá ter o título de princesa porque é plebéia. 

Mudando de assunto...

Com esse negócio de corrente via SMS, sou obrigada a dizer: "desculpaê, mas, EU QUEBRO CORRENTES".

A primeira e única corrente de que participei foi quando eu era criança. Foi algo mais ou menos assim: Eu recebi uma carta. Nela continha a história de uma corrente que começou não-sei-onde e não-sei-quando e que consistia em enviar aquela mensagem a um número x de pessoas. Além disso, a carta tinha uma lista de pessoas, ao primeiro nome da lista tinha que enviar um cartão postal e, pronto! Em n dias, eu receberia um milhão de cartões postais. Pfff! E aí? E aí, que eu, criança-feliz-desocupada, fui lá dar continuidade a porcaria da corrente.

Sabe quantos cartões postais eu recebi até hoje? 

Parabéns pra você que respondeu ZERO. E não foi porque eu mudei de endereço, porque meus pais ainda moram lá, foi porque quebraram uma corrente que começou não-sei-onde e que tinha anos de estrada. Também, o que que eu ia fazer com cartões postais? Affff... esse povo desocupado, viu?

Anyway... gente, não sou traumatizada nem nada, mas, eu quebro correntes. Se for email em powerpoint mesmo..., pode esquecer, nunca será aberto e irá direto para lixeira. Aliás, emails com vídeos (que só são repassados), geralmente, tem o mesmo fim. 

É uma coisa broxante, você abre feliz aquele email que seu amigo lhe enviou, e se depara com listas e mais listas de endereços de email e reenvios e no fim um powerpoint.

Tem também as correntes que vem escritas no próprio email. Muuuuito bonito. Essas trazem a mensagem e uma ameaça derradeira. Aí, você pensa: que p... é essa? Que p... de amigo é esse? 

E as religiosas? Trazem uma oração e uma praga! Que relação é essa que vocês, criadores de correntes, tem com Deus, que serão castigados se não encherem a caixa de entrada dos outros com emails? 

Uma dica: se você está repassando porque realmente gostou do texto, tira a parte ameaçadora fora. Aposto que as pessoas ficarão mais felizes em receber.

Voltando ao casamento: eu (e a maioria) gostei do vestido. Prefiro as noivas clássicas, fato. Achei que a maquiagem podia ser um pouquinho mais elaborada e que a aliança podia caber no dedo de prima, mas... cada um, cada um, não é mesmo?

AHHHHHHHHHHHHHH, (quase esqueci) repasse imediatamente este texto SENÃO bodes possuídos pelo demônio vão se mudar para sua casa e comer todas as suas meias, fazendo você pensar que alguma coisa esta errada com sua máquina de lavar, pois, suas meias sempre desaparecem. (via desciclopédia)
Tenha um bom dia!

PS: E, se você realmente adora correntes, saiba que você pode criar a sua PRÓPRIA corrente: aqui! *.*

2 comentários:

Você não pode ter medo de um vegetal! (por Baby Patolino)