sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O Mudo Prédio da Teodoro

Teodoro Sampaio. Da Henrique Schaumann até a Doutor Arnaldo: a rua dos instrumentos musicais. O pedaço que eu moro. Os sábados felizes em que desperto com blues tocando na minha janela.

Eu tenho/tinha um vizinho(a) que quase todo dia útil, por volta das 21:30h, começava a tocar. Nunca me estressei. Talvez, por não ser meu vizinho de porta. Gostava, na verdade. 

Era sempre a mesma coisa: numa noite chata qualquer, eu ouvia o pianinho, depois as vozes, e pronto! Era mais uma noite cheia de "Boemian Rhapsody". 


Ouvia o piano, a guitarra, as vozes. A distância nunca me deixou saber quais instrumentos eram realmente executados por ele(a, s). Mas, era-me agradável e eu apreciava. Um fato interessante: a música era executada sempre do começo ao fim.

Até que chego no elevador e:


Uma circular, excessivamente focada na música, deu o alerta. Uma circular que ameaçou monetariamente os fãs do Queen. 

Ruídos de animais: check! 
Empurra-empurra de móveis: check! 
Entretanto, o que realmente parece incomodar meus vizinhos é a música…

E se fosse um vizinho funkeiro, pagodeiro ou sertanejo?

No dia que a circular foi anunciada: prédio silencioso.

No dia seguinte, coincidência ou não, um apartamento colocado para alugar.

Não que eu ache a "Lei do Silêncio" ruim. Eu concordo. Também quero descansar e dormir sem barulhos. Às vezes. Só fiquei com pena dos músicos.

Bye, bye, little Freddie!


Um comentário:

Você não pode ter medo de um vegetal! (por Baby Patolino)