sexta-feira, 29 de março de 2013

Pilota de Fuga

Fato Relevante I: Eu tenho carteira de motorista. Em dia, bonitinha. Com direito a foto cabeça de ovo e olheiras de 8474857 dias sem dormir.

Fato Relevante II: Eu acho uma chatice sem fim, um saco mesmo, dirigir. Tanto que devo estar sem encostar num volante há uns 3 anos. Pelo menos. 

Então, faz mais de uma semana que Marcelo está naquela: "blablabla ingresso do Lollapalooza... blablablabla Lollapalooza blablablabla." 
Ok, tudo bem. Concordo mesmo que, se vai ter show da banda que a gente adora, tem mais é que ir! 
Aí, fomos hoje de manhã, lá no Jockey, comprar os benditos ingressos. Mas, claro, como hoje já é o primeiro dia de festival, às dez da matina, estava a maior muvuca nos arredores e, dããã, sem lugar para estacionar. 
Então, paramos entre dois cavaletes colocados pela CET, (olha o mau exemplo). Como não tinha fila na bilheteria, Marcelo correu lá e eu fiquei no carro, porque nunca se sabe. Sim, ou com certeza, que o funcionário da CET apareceu?
E, admito que ele foi muito simpático, mas, obviamente, não permitiu que eu permanecesse no local. Indicou o caminho que eu devia fazer e tal. 
Passei para o banco do motorista. Estava, nada mais nada menos que, em pânico. Anos sem dirigir e ia ter que fazer um retorno em São Paulo.
Minha cabeça: "PQP! PQP! PQP!" 
Aí, lembrei que estava sem o óculos. Tenho 0,50 de astigmatismo, mas, a anotação "A" consta na minha carteira de motora. 
"E se ele pedir minha carteira? Fuuuuuuuuuuu!"
Comecei a dirigir. E aí a coisa melhorou: lembrei que deixei a carteira na outra bolsa!!! PQP!
Nunca dirigir 500 metros foi tão tenso na vida!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você não pode ter medo de um vegetal! (por Baby Patolino)